ASSESSORIA JURÍDICA

A SOS Mulher e Família de Uberlândia oferece serviços jurídicos em parceria com a ESAJUP – Escritório de Assessoria Jurídica Popular da UFU, de uma forma até então inédita em organizações não governamentais que atuam no enfrentamento à violência de gênero e violência contra a mulher. Através do projeto "Todas por Ela", as mulheres que sofreram ou sofrem qualquer tipo de violência têm acesso gratuito a orientação, assistência e serviços de profissionais e estagiárias do Direito capacitadas e profundamente engajadas na luta contra a desigualdade de gênero.


ONG SOS Mulher e Família de Uberlândia - Pelo Fim da "Cultura do Estupro"

Na indignação nos unimos diante deste absurdo e recente caso de estupro coletivo que, à revelia de nosso estranhamento, se soma a vários outros casos sobre os quais sequer sabemos, sequer são noticiados, sequer são contabilizados... sequer são punidos. Casos como este, em que foi vítima a jovem de 16 anos moradora do Rio de Janeiro, nos impacta e provoca à uma série de reflexões e questões: Vivemos a cultura do estupro? O que alimenta esta cultura do estupro? Até quando mulheres temerão viver livremente sem serem apontadas como culpadas da violência que sofrem? Quem é o estuprador, onde ele está, o que ele representa em nossa sociedade? Até quando a sociedade, e em especial as mulheres, ficarão vulneráveis a este tipo de violência? Por que a perspectiva de punição efetiva se perde no caminhar dos processos?



ONG SOS Mulher e Família faz atividade em escolas sobre violência

Conforme a lei nº 11.988, de 27 de julho de 2009, ocorrem em todas as escolas de ensino fundamental e médio da rede pública do país, a atividade denominada Semana de Educação para a Vida. Em algumas das escolas em Uberlândia foram dos dias 30 de novembro a 4 de dezembro que tais atividades ocorreram. Nesta oportunidade singular, a ONG SOS Mulher e Família, esteve presente em 3 escolas: ESEBA - Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia, Escola Estadual Professor Inácio Castilho e Escola Estadual Ângela Teixeira. Tal atividade realizada pela equipe técnica de atendimento da ONG está prevista no estatuto da instituição, no qual contempla atividades de cunho socioeducativo.