Violência às mulheres em tempos de quarentena - Rede de apoio em Uberlândia

rede de apoio

Visando orientar mulheres que estão convivendo, ainda mais, com seus agressores durante a quarentena, seguem algumas orientações referente aos órgãos que compõe a rede de enfrentamento à violência às mulheres em Uberlândia, nos quais a vítima pode buscar auxílio.

Em Uberlândia – MG, a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher - DEAM está funcionando apenas para casos de extrema urgência (como lesão corporal, tentativa de feminicídio e estupro). O horário de funcionamento é de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 14h às 18h. Endereço: Avenida Nicomedes Alves dos Santos, nº 727. Telefone: (34)3210-8304. No mesmo complexo, funciona o CIM - Centro Integrado da Mulher / Casa da Mulher que atendem pelo telefone (34) 3231-3756.


Sobre o funcionamento da ONG SOS Mulher e Família de Uberlândia durante a pandemia provocada pelo COVID-19

 

A Diretoria Colegiada da ONG SOS Mulher e Família de Uberlândia, informa:

Visando a necessidade de seguir rigorosamente as orientações e protocolos emitidos pelos órgãos e autoridades sanitárias e de saúde pública, representados pelo Ministério da Saúde, pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais e pelas Secretarias Municipais de Saúde, a diretoria da ONG SOS Mulher e Família em reunião com a equipe multidisciplinar da instituição, reconhece que providências se fazem urgentes e necessárias, ante a rotina de trabalho, e, portanto decide suspender por 30 dias (prorrogáveis caso necessário) as atividades de atendimento ao público, em grupos e/ou coletivas, e estabelecer o atendimento da ONG SOS Mulher na modalidade de trabalho remoto, conforme descrição que segue: 


ASSESSORIA JURÍDICA

A SOS Mulher e Família de Uberlândia oferece serviços jurídicos em parceria com a ESAJUP – Escritório de Assessoria Jurídica Popular da UFU, de uma forma até então inédita em organizações não governamentais que atuam no enfrentamento à violência de gênero e violência contra a mulher. Através do projeto "Todas por Ela", as mulheres que sofreram ou sofrem qualquer tipo de violência têm acesso gratuito a orientação, assistência e serviços de profissionais e estagiárias do Direito capacitadas e profundamente engajadas na luta contra a desigualdade de gênero.


ONG SOS Mulher e Família de Uberlândia - Pelo Fim da "Cultura do Estupro"

Na indignação nos unimos diante deste absurdo e recente caso de estupro coletivo que, à revelia de nosso estranhamento, se soma a vários outros casos sobre os quais sequer sabemos, sequer são noticiados, sequer são contabilizados... sequer são punidos. Casos como este, em que foi vítima a jovem de 16 anos moradora do Rio de Janeiro, nos impacta e provoca à uma série de reflexões e questões: Vivemos a cultura do estupro? O que alimenta esta cultura do estupro? Até quando mulheres temerão viver livremente sem serem apontadas como culpadas da violência que sofrem? Quem é o estuprador, onde ele está, o que ele representa em nossa sociedade? Até quando a sociedade, e em especial as mulheres, ficarão vulneráveis a este tipo de violência? Por que a perspectiva de punição efetiva se perde no caminhar dos processos?